História e curiosidades


A história da bateria teve sua origem nas investigações de muitos experimentos no terreno da eletroquímica.
A ideia básica de armazenar a corrente elétrica por meio de uma transformação química surgiu no ano de 1800, pelo físico Alessandro Volta que descobriu a pilha galvânica. Coube a Plante em 1859 idealizar uma bateria que acumulava energia elétrica, a qual consistia de duas placas de chumbo enroladas em forma de espiral, separadas por tiras de borracha e mergulhadas em solução de ácido sulfúrico.

A bateria é um conjunto de acumuladores elétricos, que são dispositivos capazes de transformar energia química em elétrica e vice-versa. Destina-se a armazenar sob forma de energia química a energia elétrica que lhe tenha sido entregue e fornecê-la em determinadas situações.

Quando um acumulador é carregado eletricamente há uma transformação de energia elétrica em energia química e por ocasião da descarga esta transformação é inversa.
Os acumuladores são utilizados em sistemas de suprimentos de energia para os mais variados tipos de equipamentos, nos quais se quer uma alta confiabilidade.

Baterias Automotivas


Uma bateria automotiva é composta por 6 vasos internos ligados em série. São consideradas baterias de arranque, ou seja, oferecem grande quantidade de corrente por um curto período de tempo (o necessário apenas para dar a partida no carro).

Depois que o motor está ligado, o alternador passa a fornecer toda a energia que o carro necessita e, a bateria recebe energia do gerador para se recarregar. Com isso, uma bateria automotiva pode usar menos que 20% de sua capacidade total durante todo o seu tempo de vida útil. Usada dessa maneira, uma bateria de carro pode durar cerca de aproximadamente 2 anos.

Cada vez que uma bateria automotiva é completamente descarregada, sua vida útil diminui, sendo muitas vezes necessário substituí-la.

Baterias Chumbo Ácidas Reguladas por Válvula o VRLA


As Baterias Chumbo Ácidas Reguladas por Válvula VRLA (valve regulated lead acid batteries) atualmente são as mais usadas utilizadas em aplicações estacionárias.
São conhecidas por "baterias seladas" devido a sua emissão de gás ser praticamente zero. A baixa quantidade de gás liberado por uma bateria do tipo VRLA, operando em condições normais de carga e temperatura, representa um volume quase desprezível de emissão de componentes corrosivos se comparada às baterias ventiladas. Isso elimina a necessidade de ventilação especial, permitindo que as baterias seladas, possam ser instaladas próximas ao sistema de retificadores em espaços bastante restritos.

As Baterias Seladas:
• Nunca necessitam de reposição de água;
• Não exalam gases tóxicos em condições normais de carga e temperatura;
• Apresentam reduzidas taxas de auto descarga em regime de armazenamento até 30C;
• Podem operar em várias posições.  

Cuidados e dicas de uso
O desempenho e vida útil das baterias estão diretamente relacionados aos seguintes fatores:
• Temperatura de operação;
• Regime de recarga;
• Profundidade de descarga;
• Número de ciclos de carga/descarga;

Por isso siga as recomendações do fabricante e fique atento para as condições de:
» Armazenagem
» Instalação
» Segurança
» Descarte de Baterias